Seu SAP está pronto para REINF?

Apesar da data de entrada em operação ser janeiro de 2018, este é o momento para iniciar seu projeto, principalmente se for para realizar a integração com sua plataforma SAP, principalmente porque a maior preocupação do Fisco atualmente é realizar o gerenciamento da apuração das retenções de impostos, desde o fator gerador até o pagamento do DARF.

Seu SAP está prontoA parametrização será fundamental para que haja segurança no processamento das informações do REINF, que são o detalhamento de NFes emitidas de todos os itens contratados pela empresa, isso significa também realizar a automatização da DIRF.

Em muitas empresas os dados da NFe de serviços vai diretamente para financeiro, em vez de ir para a escrituração fiscal. Para a correta integração, é necessário fazer uma adequação no SAP para tratar da forma certa essas informações e também os dados Previdenciários e Trabalhistas (eSocial).

Confira alguns dos benefícios:

  • Apuração da CPRB (Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta);
  • Consolidação das informações geradas e importadas do(s) sistema(s) de origem;
  • Validação das premissas para entrega ao Fisco;
  • Geração  do XML para a mensageria;
  • Seleção e envio do XML para mensageria;
  • Representação do XML do REINF em PDF;
  • Mensageria com alta performance, armazenagem de forma segura dos XML e controle de painéis

Ainda com dúvidas? Consulte Nossos Especialistas (51) 3093-0552 

Calendário Fiscal – Fique atento aos prazos!

Não perca as atualizações do Calendário Fiscal, no qual o objetivo é auxiliarmos a sua empresa nas entregas de TODAS as obrigações:

Julho – ECF (Escrituração Contábil Fiscal) – as empresas deverão entregar os arquivos da ECF com a apuração do IRPJ e CSLL, juntamente com as demais informações contábeis e financeiras, referentes ao ano calendário anterior

SEGUNDO SEMESTREobrigacoes segundo semestre

Bloco K – início do projeto para industrias classificadas nas divisões 10 a 32 do CNAE, com faturamento anual igual ou superior a R$ 78 milhões (em 2016). A obrigatoriedade de entrega  será em Janeiro de 2018

eSocial – início do projeto que está previsto para ser entregue em janeiro de  2018 para empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões

EFD-REINF – início do projeto, a primeira transmissão está prevista para o início de 2018

A CONSMASTER pode lhe ajudar nesse processo, mapeando e informatizando todos os cenários.

Entre em contato conosco: http://consmaster.com.br/contato/

Foi dada a largada – Versão 1.1 da EFD-Reinf

Publicados os Leiautes, Esquemas XSD e o Manual de Orientação ao Contribuinte da EFD-Reinf versão 1.1.

Para ter acesso aos arquivos, clique aqui.1

Você pode contar com nosso time para:

  • Mapear seus processos;
  • Apoiá-los nas especificações de ajustes e processos em seu ERP;
  • Consultoria SAP e Oracle para as configurações da entrada de RPA’s e NFSe.

A Consmaster tem as qualificações que sua empresa precisa para atender TODAS as demandas.

NFe ganha versão 4.0 com várias alterações

Aproximadamente 1,3 milhão de empresas emissoras de NF-e no Brasil terão que se adaptar à nova versão 4.0, publicada em novembro pela SEFAZ por meio da NT 2016.002.

A partir de 1º de agosto, o novo leioute passa a valer no ambiente de produção. Dia 6 de novembro, será desativada a versão 3.10 da NF-e e, as empresas que não migrarem para a 4.0, não conseguirão mais emitir a nota eletrônica.

Com essa nova alteração, será preciso fazer ajustes para adequar os atuais sistemas corporativos de envio dos dados ao Fisco. Uma dica do time da Consmaster é vincular o Banco de Dados ao SAP para atender às novas exigências e estar em compliance com as exigências da legislação.

Veja a seguir outras mudanças, como novos campos para combustíveis e medicamentos, e como essas alterações podem impactar nos seus negócios:

– Criação do grupo “Rastreabilidade de produto” (Grupo I80) para permitir a rastreamento de qualquer produto sujeito às regulamentações sanitárias, casos de recolhimento/recall, além de defensivos agrícolas, produtos veterinários, odontológicos, medicamentos, bebidas, águas envasadas, embalagens, etc., a partir da indicação de informações do número de lote, data de fabricação e produção;

– Criação de campos relativos ao FCP (Fundo de Combate a Pobreza) para operações internas ou interestaduais com ST. Altera o leiaute da NF-e para identificar o valor devido, em decorrência do percentual de ICMS relativo ao Fundo de Combate à Pobreza, nas operações internas ou interestaduais com Substituição Tributárias, não atendidas pelos campos criados no Grupo de Tributação do ICMS para a UF de destino;

– Inclusão do campo no Grupo Total da NF-e para informar o valor total do IPI (id: W12a), no caso de devolução de mercadoria por estabelecimento não contribuinte desse imposto;

– A partir da versão 4.0 da Nfe será permitido unicamente o protocolo TLS 1.2 ou versão superior. Ou seja, não será mais permitida à comunf1nicação via protocolo SSL;

– Alterado do Grupo X- Informações do Transporte da NF-e com a criação de novas modalidades de frete (id: X02);

– Será eliminado o uso de variáveis no SOAP Header (eliminada a “Área de Cabeçalho”) na requisição enviada para todos os Web Services, previstos no Sistema NFE;

– Alteração do nome do Grupo “Formas de Pagamento” para “Informações de Pagamento” com a inclusão do campo valor do troco (id: YA09).O preenchimento deste grupo passa a ser possível também para Nfe, modelo 55.

Referente à validação, o processo fica a cargo da SEFAZ Autorizadora, porém, foram definidas algumas novas validações, como, por exemplo:

– Validação (B25b-40) para obrigar o preenchimento dos campos referentes à Nfe (id:BA02) ou NF (id:BA03), quando informada a operação presencial fora do estabelecimento, indPres=5, (id: B25b);

– Validação (BA03-10) se informado em duplicidade na Nota Fiscal modelo 2 (id:BA03) no Grupo de Documentos referenciados (id:BA01);

– Validação (K01-20) para obrigar o preenchimento do Grupo Rastreabilidade de Produto, quando preenchido o Grupo Medicamentos;

– Validação (I84-10) da informação da data de validade do produto em relação à data de fabricação;

-Validação do percentual informado para o FCP (N17b-10/ N23b-10/ N27b-10);

– Validação do somatório dos campos FCP (W04h-10), FCP-ST (W06a-10), IPI devolvido (W12a-10), quando informados nos itens;

– Inclusão do valor total do IPI devolvido (quando ocorrer) e o valor do Fundo de Combate à Pobreza ST no valor total da NFe, (W16-10).

A Consmaster tem as qualificações que sua empresa precisa para atender TODAS as demandas do Fisco!

 

Seu SAP está pronto para o REINF?

SAPO REINF contempla todas as retenções do contribuinte em relação ao trabalho e as informações sobre a receita bruta, com o objetivo de apurar as contribuições previdenciárias substituídas.

Apesar da data de entrada em operação ser janeiro de 2018, este é o momento para iniciar seu projeto, principalmente se for para realizar a integração com sua plataforma SAP, principalmente porque a maior preocupação do Fisco atualmente é realizar o gerenciamento da apuração das retenções de impostos, desde o fator gerador até o pagamento do DARF.

A parametrização será fundamental para que haja segurança no processamento das informações do REINF, que são o detalhamento de NFes emitidas de todos os itens contratados pela empresa, isso significa também realizar a automatização da DIRF.

Em muitas empresas os dados da NFe de serviços vai diretamente para financeiro, em vez de ir para a escrituração fiscal. Para a correta integração, é necessário fazer uma adequação no SAP para tratar da forma certa essas informações e também os dados Previdenciários e Trabalhistas (eSocial).

Então, fique atento! E para te apoiar, selecionamos as principais alterações ocorridas recentemente nessa obrigação:

  • EFD-REINF/leiaute beta versão 0.101:

– Informações do Contribuinte;

– Tabela de Processos Administrativos/Judiciais;
– Retenção Contribuição Previdenciária – Tomadores de Serviços;

– Recursos Recebidos e repassados para Associação Desportiva;

Comercialização da Produção por Produtor Rural PJ/Agroindústria;

Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta ;

Retenções na Fonte – IR, CSLL, Cofins, PIS/PASEP;

Reabertura e fechamento dos Eventos Periódicos;

Receita de Espetáculo Desportivo;

Solicitação de Totalização de Bases e Contribuições;

Informações das bases e dos tributos consolidados por contribuinte;

Exclusão de Eventos.

Consulte Nossos Especialistas (51) 3093-0552 

ECF/ECD: otimize o tempo ao entregar dados confiáveis

ecf2 - 18_04

Muitas empresas ainda utilizam a planilha Excel para lançar seus dados e transferir para o ECF/ECD, porém quanto mais automatizado estiver seu sistema fiscal, mais confiável será e menos retrabalho haverá.

Aliado a isso, o governo tem disponibilizado novos leioutes (recentemente a ECF ganhou a versão 3 e no ECD o validador recebeu versão 4.0.1), exigindo ainda mais esforço da sua área fiscal. Por isso a Consmaster, especializada em soluções fiscais e tributárias há mais de 20 anos, tem um time qualificado para implementar sistemas confiáveis em seu ambiente.

Seja na forma tradicional (com a elaboração/implementação e suporte ao projeto) ou no modelo Business Process Outsourcing (|BPO), que reduz em até 50% o tempo de implementação e os custos, trazendo melhor retorno para seu negócio.

A consistência dos dados enviados ao fisco é a principal, mas não a única vantagem ao usar um sistema fiscal, que extrairá, por exemplo, as informações do ano inteiro diretamente do Banco de Dados Oracle, sem intervenção humana e possíveis erros e multas.

É um salto enorme se comparado ao uso do Excel, onde os dados são digitados, fórmulas são criadas e tudo é carregado para a contabilidade e digitado novamente no PVA do ECF. Além das várias possibilidades de erros, a planilha pode corromper a qualquer momento do processo.

O sistema fiscal é 100% parametrizável, sua base de dados estará totalmente integrada aos demais em uso na empresa e a origem sempre será a contabilidade. Isso mitiga possíveis erros e o risco de fiscalização e multas. No processo é possível também rastrear as incidências, gerar relatórios e arquivos para atendimentos e tomadas de decisões nas esferas municipal, estadual e federal.

A solução que a Consmaster trabalha é preparada para atender às diferentes situações impostas pela legislação, resultando em segurança nos processos de apuração dos impostos. Veja as principais regras das novas versões:

  • Leiaute 3 da ECF:

– Obrigatoriedade de Entrada: O registro é de preenchimento obrigatório no momento da importação do arquivo da ECF para o programa da ECF;

– Obrigatoriedade de Saída: O registro é obrigatório no momento da geração do arquivo da ECF para transmissão;

– Identificação da Participação no Exterior;

– Demonstrativo de Resultados e de Imposto a Pagar no Exterior;

– Demonstrativo de Resultados no Exterior Auferidos por Intermédio de coligadas em Regime de Caixa;

– Demonstrativo de Consolidação, de Prejuízos Acumulados, de Rendas Ativas e Passivas e de Estrutura Societária;

– Origem e Aplicação de Recursos – Imunes ou Isentas;

– Comércio Eletrônico e TI – Informações das Vendas;

– Royalties Recebidos ou Pagos a Beneficiários do Brasil e do Exterior;

– Rendimentos Relativos a Serviços, Juros e Dividendos Recebidos do Brasil e do Exterior;

– Pagamentos/Remessas Relativos a Serviços, Juros e Dividendos Recebidos do Brasil e do Exterior;

– Inovação e Desenvolvimento Tecnológica;

– Capacitação de Informática e Inclusão Digital;

– Pólo Industrial de Manaus e Amazônia Ocidental;

– Zonas de Processamento de Exportação (ZPE);

– Doações a Campanhas Eleitorais.

Atualizações da ECD/programa 4.0. 1– Em fevereiro foram publicadas várias alterações, sendo que a entrega está marcada para o último dia de maio. Foi alterada a versão 4.0.1 do validador, vários campos e também as regras:

– Substituição do Livro Digital Transmitido: Somente poderão ser substituídos livros que contenham erros que não possam ser corrigidos por meio de lançamentos extemporâneos;

– Assinatura do Livro Digital: Dever ser por certificado digital do tipo A3 ou A1 e utilizar somente certificados digitais e-PF ou e-CPF; o livro também pode ser assinado por procuração eletrônica da RFB;

– Pessoas Jurídicas Imunes e Isentas: Devem entregar a ECD, a partir de 01/01/2016, pessoas jurídicas imunes e isentas obrigadas a manter escrituração contábil, nos termos da alínea “c” do § 2º do art. 12 e do § 3º do art. 15, ambos da Lei nº 9.532/97, quando:

  1. a) apurar contribuição para o PIS/PASEP,COFINS,contribuição previdenciária incidente sobre a Receita de que tratam os arts. 7º a 9º da Lei nº 12.546/11 e contribuição incidente sobre a Folha de Salários, sea soma for superior a R$ 10.000,00 em qualquer mês do ano-calendário que se refere a escrituração contábil;
  2. b) auferir receitas, doações, incentivos, subvenções, contribuições, auxílios, convênios e ingressos assemelhados, quea soma seja superior a R$ 1.200.000,00 no ano-calendário a que se refere à escrituração contábil, ou proporcional ao período;

– Pessoas Jurídicas Tributadas com Base no Lucro Presumido: a partir de 01/01/2016, estão obrigadas a entregar empresas tributadas pelo Lucro Presumido e que não se utiliza da prerrogativa prevista no parágrafo único do art. 45 da Lei nº 8.981/95;

– Autenticação dos Livros Contábeis: Poderá ser feita por meio do Sistema Público de Escrituração Digital;

– Sociedades em Conta de Participação;

– Correção do problema das assinaturas a partir da restauração de cópia segurança de ECD parcialmente assinadas;

– Correção da exceção de Java no leiaute 5, quando com registro 0000 estava incompleto (sem o campo flag do conglomerado, por exemplo);

– Correção da exceção de Java na importação de ECD no leiaute 5 com registro J800 no formato anterior, sem os novos campos;

– Correção da exceção de Java na transmissão de ECD com o número de ordem informado com zeros à esquerda;

– O programa estava habilitando a edição do bloco K para leiaute 5 e permitindo informar “S” no campo 0000.IND_ESC_CONS. Como os testes do conglomerado ainda não foram concluídos, na versão 4.0.1 foram feitas as seguintes alterações:

Criar ECD: O campo 0000.IND_ESC_CONS (indicador de consolidação) deverá aparecer preenchido com N e desabilitado para edição em todos os leiautes;

Importar ECD (leiaute 5): O campo 0000.IND_ESC_CONS deverá ser válido apenas quando preenchido com “N”. Se for preenchido com “S” exibirá a seguinte mensagem de erro “Nesta versão ainda não é possível a informação das demonstrações contábeis consolidadas pela controladora. O campo IND_ESC_CONS, do registro 0000, dever ser preenchido com “N” e os registros do bloco K, caso existam, devem ser excluídos”.

Consulte Nossos Especialistas (51) 3093-0552 

RECOFs: reduza custos e otimize o fluxo de caixa

O RECOF-SPED uma nova modalidade do Regime Aduaneiro de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado (RECOF) e o aperfeiçoamento de RECOF e RECOF-SPED 17_04regimes tributários para o apoio às exportações.

A nova modalidade traz a ampliação do RECOF para todos os segmentos da indústria, porém, é preciso fazer a adesão para ter direito à desoneração dos impostos na importação de insumos destinados à industrialização no país.

O time da Consmaster é certificado na solução Onesource Global Trade RECOF-SPED e RECOF SYS, ambos da Thomson Reuters, para gerenciar as duas modalidades de forma estratégica e eficiente, garantindo conformidade com os requisitos legais e minimizando os riscos nas operações de comércio exterior.

Benefícios (RECOF e RECOF/SPED)

– Importar ou comprar no país insumos, sem pagar tributos, e mercadorias que serão industrializadas e produtos para exportação ou mercado interno

– Isenção de tributos na exportação de produto acabado

– Redução nas taxas de armazenamento da INFRAERO

– Importação e aquisição no mercado interno, legislação própria de cada estado, com suspensão/diferimento do ICMS

– Suspensão da taxa do AFRMM – Adicional ao Frete para a Renovação da Marinha

 

DIFERENÇAS 

RECOF RECOF-SPED
  • IN RFB 1.291
  • Controle Informatizado
  • Nacionalização dos tributos suspensos até o 10º dia do mês seguinte à destinação da mercado no mercado nacional
  • Permite operações de compartilhado e co-habilitado
  • IN RFB 1.612
  • Controle Informatizado do SPED
  • Nacionalização dos tributos suspensos até o 15º dia do mês seguinte à destinação da mercado no mercado nacional

HABILITAÇÃO/ADESÃO

RECOF RECOF-SPED
  • Sistema Informatizado, controle do Regime integrado aos sistemas corporativos
  • Patrimônio líquido maior ou igual a R$ 10 milhões
  • Exportar produtos industrializados no valor mínimo anual equivalente a 50% do valor total das mercadorias importadas ao amparo do regime e não inferior a US$ 5 milhões
  • Estar de acordo com a regularidade fiscal Art. 33 Lei num 9.430
  • Aplicar anualmente, na produção dos bens que industrializar, pelo menos 80% das mercadorias estrangeiras admitidas no regime
  • Empresas que tenham operação de industrialização na transformação, beneficiamento e montagem de produtos e partes e peças usadas nessa montagem
  • Empresas que tenham operação de industrialização no acondicionamento/ reacondicionamento de partes e peças a serem comercializadas no mesmo estado em que foram importadas
  • Estar adimplente com as obrigações de entrega do EFD
  • Solicitar previamente uma habilitação à Receita Federal
  • Exportar produtos industrializados no valor mínimo anual equivalente a 80% do valor total das mercadorias importadas ao amparo do regime e não inferior a US$ 5 milhões
  • Estar de acordo com a regularidade fiscal Art. 33 Lei num 9.430
  • Aplicar anualmente, na produção dos bens que industrializar, pelo menos 80% das mercadorias estrangeiras admitidas no regime
  • Empresas que efetuem industrialização na Transformação Montagem Beneficiamento e acondicionamento/ reacondicionamento
  • Empresas que efetuem industrialização no acondicionamento / reacondicionamento porém somente as exportações feitas com esta operação são excluídas do compromisso de exportação

 MANUTENÇÃO

RECOF RECOF-SPED
  • Patrimônio líquido de R$ 10 milhões

 

  • Exportar 50% do valor total das mercadorias importadas ao amparo do regime com o piso de US$ 5 milhões anuais de exportação

 

  • Aplicar, na produção dos bens industrializados, 80% das mercadorias importadas sob o regime (75% se exportar valor superior a US$ 50 milhões e 70% se a exportação for superior a US$ 100 milhões/ano
  • Exportar produtos industrializados no valor mínimo anual equivalente a 80% do valor total das mercadorias importadas ao amparo do regime e não inferior a US$ 5 milhões
  • Industrializar pelo menos 80% das mercadorias estrangeiras admitidas no regime anual, reduzindo a 70% para empresas beneficiárias que abasteçam o mercado interno com partes e peças destinadas à manutenção e garantia de seus produtos fabricados
  • Estar adimplente com as obrigações de entrega do EFD, nos termos da legislação específica em vigor

Como estão seus projetos de ECD e ECF?

ECD e ECFpostEstá na hora de cuidar desses projetos.

No último dia de Maio será a data de entrega do ECD (Escrituração Contábil Digital – SPED Contábil), e no último dia do mês seguinte será a vez do ECF (Escrituração Contábil Fiscal).

A CONSMASTER é o parceiro ideal para a entrega dessas duas obrigações porque tem profissionais qualificados, com experiência nas áreas fiscal e tecnológica em empresas de todos os tamanhos e segmentos.

– Apuração e geração das obrigações, dentro do cliente ou como Outsourcing

– Cálculo do IRPJ e da CSLL para o ECF

– Cruzamento e análise dos dados do SPED Contábil com as informações da ECF para verificar possíveis divergências

– Validação das informações e orientação sobre as possíveis correções antes do envio ao Fisco. Este ano o PVA do ECD ficou mais critico, porque assumiu (entre todas as validações) também a validação do ECF.

Consulte Nossos Especialistas (51) 3093-0552 

Publicado o prazo de entrega da EFD-REINF

efdpost1No dia 16 deste mês foi divulgado o prazo para entrega da REINF para empresas que faturaram em 2016 valor igual ou maior que R$ 78 milhões a obrigatoriedade de gerar a EFD-Reinf a partir de 01/01/18. E também para empresas com faturamento inferior a R$ 78 milhões, também em 2016, o início dessa obrigatoriedade em 01/07/18.

Sua empresa já esta preparada?

As entradas das NFs de serviços estão sendo feitas em seu ERP ou apenas lança no financeiro?

Seus processos de contratação de serviço já estão sendo revistos?

Como se dará o controle das retenções?

A CONSMASTER vem acompanhando desde o início o projeto REINF e especializou sua equipe para apoiá-los neste novo desafio.

Você pode contar com nosso time para:

  • Mapear seus processos;
  • Apoiá-los nas especificações de ajustes e processos em seu ERP;
  • Consultoria SAP e Oracle para as configurações da entrada de RPA’s e NFSe.

Teremos prazer em te dar suporte em mais este desafio…

O Onesource é a melhor ferramenta para o eSocial

O Onesource é a melhor ferramenta para o eSocial

O Comitê Gestor divulgou no Diário Oficial da União a Resolução nº5/2016 referente à aprovação da versão 2.2 do Leiaute do eSocial – Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas. E também a separação do eSocial e do Reinf.

Esse novo leiaute (já disponível em: “Documentação técnica” no Portal do eSocial), aprimora pontos importantes como a adaptação aos órgãos públicos, adequação às alterações legislativas e às nESOCIALPOST2ormas tributárias, trabalhistas e previdenciárias.

Foi definida ainda uma nova forma de consolidação da documentação do eSocial, que passa a ser publicada em dois conjuntos distintos:

1) Leiautes do eSocial e seus anexos (tabelas e regras de validação);
2) Manual de Orientação do eSocial.

Contribuintes e empregadores obrigados a usar o eSocial que não prestarem as informações no prazo ou apresentar com erros ou omissões, ficarão sujeitos às penalidades previstas na legislação.

Com mais essa exigência, o alto volume de informações provenientes das operações de distintas áreas (fiscal/financeira, jurídica, medicina do trabalho, departamento pessoal, entre outras) exige um maior controle e validação dos dados que serão transmitidos para a Receita Federal do Brasil.

O Onesource eSocial, da Thomson Reuters, é a melhor ferramenta para essa demanda porque é uma solução tecnológica completa que gera os arquivos eletrônicos, mensageria e valida a consistência prévia dos dados para transmissão.

Além disso, tem um denso e completo conteúdo sobre a legislação previdenciária e trabalhista, proporcionando que as empresas estejam em compliance com as novas exigências do eSocial, minimizando os impactos, riscos e esforços.

Consulte Nossos Especialistas (51) 3093-0552 

Comentários
    Categorias