Empresas de todos os tamanhos e segmentos podem desfrutar das inovações da plataforma SAP

SapEntre as atividades que precedem um projeto SAP estão migrações para novos sistemas, documentação de processos de negócios e depuração dos dados. Nesse estágio, as pessoas são extremamente importantes. O grau de envolvimento, motivação e até o senso crítico de cada um serão extremamente úteis no processo.

Por isso, é essencial explicar aos colaboradores a necessidade de um novo sistema, mostrar os benefícios esperados, deixando claro que a implantação de sistemas precisa da ajuda de cada um para que seja realizada com sucesso.

A implementação é uma etapas mais criticas. As dificuldades decorrem do fato de envolver mudanças organizacionais e que implicam alteração nas tarefas e responsabilidades de indivíduos e departamentos. É importante que essas mudanças conduzam à otimização dos processos e, em contrapartida, a otimização localizada de atividades departamentais.

Devido à complexidade dessa mudança e dos conflitos que podem causar entre os envolvidos, a participação intensa e o comprometimento da alta direção da empresa nessa etapa é fundamental para garantir a comunicação entre todos os envolvidos.

Porém, um ponto bastante delicado na adesão à plataforma SAP é a escolha adequada do parceiro de TI, que será o responsável por indicar as melhores ferramentas da fornecedora para às necessidades do seu negócio, além da implantação, gerenciamento do projeto e capacitação do time interno da empresa. Elegemos os principais cuidados que sua empresa deve ter ao fazer essa escolha:

Efeito SAP no seu ambiente

  • Os projetos na plataforma geralmente têm profundos impactos em muitas das atividades internas da empresa, por isso grandes projetos devem ser entendidos e planejados desde o começo. A gestão de mudanças é uma prática fundamental que deve acompanhar a implementação desde o início até o final. Uma falha na gestão de mudanças pode fazer com que os usuários resistam à nova solução ou a utilizem minimamente. Assim, os benefícios do projeto são reduzidos, mesmo que haja um sucesso técnico;

Inovação

  • Para realmente inovar deve existir um propósito de negócio claro com ganhos (tangíveis e intangíveis) para a empresa, ou seja: promover experiências com um propósito de negócio. Dessa forma, todos os colaboradores envolvidos serão agentes de inovação, começando uma faísca de algo que pode ser tornar muito maior e, quem sabe, ser a principal fonte de receita nos próximos meses;

Gerenciamento de Projetos

  • O sucesso de um projeto está nos detalhes, razão pela qual os membros das equipes devem dar constantes atualizações referentes os progressos e os problemas do projeto. Se um problema sério surge, o time de supervisão deve intervir e tomar decisões. O ideal é a equipe inteira se encontrar, ao menos uma vez por semana, para discutir todas as linhas do projeto e esclarecer todas as dúvidas, o que vai agilizar as correções.

Capacitação

  • Uma das formas mais fáceis de levar o projeto ao fracasso ou diminuir o retorno sobre o investimento é oferecer um treinamento insuficiente para os usuários da nova solução SAP. No modelo mais comum de treinamento, o integrador escreve uma documentação das várias partes personalizadas do pacote e então instrui uma equipe de treinamento, que vai repassar o conhecimento aos demais usuários. Porém especialistas dizem que esse modelo tende ao fracasso se a equipe de treinamento do cliente não for boa.

O mais indicado é que a equipe de treinamento participe ativamente de sessões de briefing com o integrador, com tempo para que os instrutores possam praticar e aperfeiçoar sua experiência de treinamento. O conselho é não economizar nessa etapa.

Nós da CONSMASTER podemos lhe apoiar, navegue pelo nosso site e CONSULTE AGORA mais informações.

SEFAZ Maranhão disponibiliza emissão da NFe e NFCe

Já está disponível para download, no site da Sefaz-MA, o arquivo do aplicativo de teste para validação dos diversos comandos e menus do programa atualizado pelo Estado do Maranhão para a emissão da NFe.

Após a validnfeação, os usuários poderão opinar sobre a operacionalidade do sistema para suas necessidades ou buscar outras soluções disponíveis no mercado ou desenvolvimento próprio.

Outra novidade importante é que os varejistas terão que usar Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor até o final deste ano no Maranhão.

A NFC-e substituirá a Nota Fiscal de Venda ao Consumidor, modelo 2 e o Cupom Fiscal emitido por equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF).

Por meio de Resolução Administrativa 19/2016, a Secretaria da Fazenda (Sefaz) vai tornar obrigatória a emissão da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e), modelo 65, a partir de 2017, progressivamente, para todo o comércio varejista em substituição ao Emissor de Cupom Fiscal.

De acordo com a Resolução 19/2016 ficam obrigados a emitir NFC-e, modelo 65, a partir da data indicada, os estabelecimentos de contribuintes varejistas, de acordo com o faturamento realizado em 2016.

A resolução determina que fica facultada a utilização da NFC-e pela micro e pequena empresa com faturamento anual, no ano base de 2016, de até R$ 120 mil, podendo, se for o caso, continuar utilizando equipamento ECF até seu esgotamento operacional.

A nova geração do Mastersaf DFe é ideal para atender essas demandas, porque facilita a emissão e recebimento de NF-e, NFS-e, CT-e e MDFe, disponível no modelo SaaS, tem interface amigável e gerenciamento das informações.

Essa solução oferece alto nível de segurança e foi testada pela Veracode, utilizando a classificação BC5 e foi homologado. Além disso, foi projetada para suportar grandes volumes de documentos em uma plataforma intuitiva e simples.

A solução permite mobilidade no monitoramento da emissão de documentos fiscais eletrônicos e é flexível com multiplataforma e multibanco, com arquitetura modular e emissões simultâneas.

A Consmaster tem total domínio do DFe para te apoiar na implementação do projeto mais adequado às necessidades da sua empresa e tipo de negócio. Entre em contato.

Novas Regras e Atualizações Fiscais 2017

Com o objetivo de auxiliar o acompanhamento do calendário relativo às obrigações fiscais e tributárias, preparamos um cronograma para você ficar atento ao INÍCIO DAS ENTREGAS em 2017

Mensal – DCTF (Declaração de Débitos e Créditos de Tributos Federais) – obrigação deve ser entregue pelas empresas à ReRégua fiscalceita Federal, tendo como base os Tributos Federais registrados no período anterior

Janeiro – Bloco K – obrigados a entrega os contribuintes classificados como industriais classificados nas divisões 10 a 32 do CNAE, com faturamento anual igual ou superior a R$ 300 milhões (em 2015) ou que estejam habilitados ao Recof

FevereiroDIRF– (Declaração Imposto Retido na Fonte) Obrigação Anual que deverá ser entregue por todas as empresas e com base na movimentação referente ao ano anterior.

DIMOB – (Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias) obrigação que se refere às construtoras e incorporadoras e deverá ser entregue, até o último dia útil do mês de fevereiro do ano subsequente ao que se refiram as suas informações.

Abril – NFe – na 4º geração haverá a atualização conforme a nota técnica 2016.002 (Alterações de layout cumulativas da versão 3.10 para 4.00)

Maio – ECD (Escrituração Contábil Digital – SPED Contábil) – no último dia útil do mês deverão ser entregues os arquivos referentes ao ano calendário anterior

Julho – ECF (Escrituração Contábil Fiscal) – as empresas deverão entregar os arquivos da ECF com a apuração do IRPJ e CSLL, juntamente com as demais informações contábeis e financeiras, referentes ao ano calendário anterior

SEGUNDO SEMESTRE

Bloco K – início do projeto para industrias classificadas nas divisões 10 a 32 do CNAE, com faturamento anual igual ou superior a R$ 78 milhões (em 2016). A obrigatoriedade de entrega  será em Janeiro de 2018

eSocial – início do projeto que está previsto para ser entregue em janeiro de  2018 para empresas com faturamento acima de R$ 78 milhões

EFD-REINF – início do projeto, a primeira transmissão está prevista para o início de 2018

A CONSMASTER pode lhe ajudar nesse processo, mapeando e informatizando todos os cenários. Entre em contato conosco: http://consmaster.com.br/contato/

DIRF 2017 – Receita publica regras

A Receita Federal do Brasil, por meio da Instrução Normativa RFB nº 1.671/2016, fixou o prazo de entrega da Dirf-2017, relativa às informações do ano-calendário de 2016, para o dia 15/02/2017. Houve, portanto, uma antecipação do prazo em relação ao ano passado.

A Dirf deve ser apresentada por todas as pessoas jurídicas e físicas que pagaram ou creditaram rendimentos sobre os quais tenha incidido retenção do IRRF ou das contribuições sociais retidas (Contribuição Social sobre o Lucro – CSL, PIS-Pasep e Cofins), ainda que em um únicDIRF 2017o mês do ano-calendário, por si ou como representantes de terceiros.

Estão obrigadas, dentre outros, os estabelecimentos matrizes de pessoas jurídicas de direito privado domiciliadas no Brasil; as entidades imunes ou isentas, pessoas físicas, condomínios edilícios, titulares de serviços notariais e de registro, os candidatos a cargos eletivos, inclusive vices e suplentes; e ainda que não tenha havido a retenção do imposto, os candidatos a cargos eletivos, inclusive vices e suplentes.

Para que haja a obrigatoriedade de entrega, basta verificar se houve retenção de IRRF e das contribuições sociais sobre pagamentos efetuados a outras pessoas jurídicas e às pessoas físicas, ainda que em um único mês do ano-calendário a que se referir à declaração.

 antecipação do prazo de apresentação da Dirf para 15/02/2017; e

 obrigatoriedade da identificação de todos os sócios das Sociedades em Conta de Participação.

A entrega em atraso está sujeita à multa de 2% ao mês-calendário ou fração, que incidirá sobre o montante dos tributos e das contribuições informados na Dirf, ainda que tenham sido integralmente pagos, limitada a 20%. A multa mínima será de R$ 200,00, tratando-se de pessoa física, pessoa jurídica inativa e pessoa jurídica optante pelo Simples Nacional, e de R$ 500,00 nos demais casos.

A retificação espontânea da Dirf não tem multa, exceto se o Fisco vir a notificar o contribuinte para a correção de erros ou omissão de informações.

Fonte: http://contadores.cnt.br/

Comentários
    Categorias